A MINHOFUMEIRO

Em Ponte de Lima, desde 1511 funcionava apenas uma cadeia, a Cadeia da Correição da Comarca situada na Torre da Cadeia Velha. A 7 de Julho de 1891 é reconhecida pelas autoridades Municipais, a indispensabilidade de criar outro espaço, dado o estado de ruína em que se encontrava a única cadeia da Vila.
Assim, criou-se uma nova estrutura denominada “Cadeia Nova”, esta, tinha apenas dois andares, dispondo cada um de uma sala que se destinava a condenados a penas correcionais acusados de delitos menores e considerados de baixa perigosidade.
De salientar que na altura havia a separação dos prisioneiros por género, ou seja, os reclusos ficavam na Torre da Cadeira Velha, enquanto as reclusas ficavam na Torre da Cadeia Nova, e foi nesta fase que tanto a nível da população como a nível institucional surgiu a designação de: “Cadeia das Mulheres”.
Estas instalações tiveram outras várias utilidades ao longo dos anos, serviram em ocasiões esporádicas para alojamento de militares. No século XX serviram como residência do carcereiro e da sua família.
Em 1985, com o intuito de reinstalar o Arquivo e a Biblioteca Municipais, o edifício foi apontado para servir de depósito e manutenção das espécies bibliográficas, o que veio a acontecer a partir de 1993.
Anos depois, ao nível do rés do chão, acolheu a sede da Comissão de Festas e da Associação Concelhia das Feiras Novas.
Depois da última reestruturação e restauro em 2012 esta passou a ser uma Loja Rural, denominada a partir de 2016 de “Casa da Terra”.